23 de maio de 2022

Desembargador Tutmés Airan debate uso medicinal do canabidiol com deputado Lobão

Deputado Lobão e desembargador Tutmés Airan em reunião no TJAL. Foto: Adeildo Lobo

Deputado Lobão e desembargador Tutmés Airan em reunião no TJAL. Foto: Adeildo Lobo

O desembargador Tutmés Airan de Albuquerque discutiu, nesta segunda-feira (23), o emprego do canabidiol para fins medicinais com o deputado estadual Lobão. O parlamentar esteve acompanhado da comitiva do Grupo Regenera, associação sem fins lucrativos que presta consultoria medicinal canábica.

De acordo com o desembargador Tutmés, a discussão sobre o uso medicinal do canabidiol é fundamental. “Devemos começar uma reflexão que é inadiável sobre os efeitos medicinais do uso da cannabis, cujo benefício seria muito maior se não fosse o preconceito. Temos que fazer esse debate sem medo, para que as pessoas possam se beneficiar dessa descoberta da ciência”, comentou.

O deputado estadual Lobão declarou que pretende legislar sobre a pauta. “Viemos acompanhando o grupo da associação que tem o projeto de produzir o óleo extraído da cannabis para tratamentos medicinais. Estou dando minha contribuição como legislador, para proporcionar o acesso ao debate sobre esse assunto. Temos interesse em ver esse produto chegar aos que mais precisam”.

Para o líder da associação Regenera, Rafael Mendes, o avanço da legislação pode baratear os custos. “O óleo é muito caro porque a matéria-prima vem de fora do país, o medicamento é importado. Então, uma mudança na legislação diminuirá o custo de importação, democratizando o acesso”, disse.

O cirurgião-dentista Edierque Lyra, integrante da comitiva, destacou a importância do uso do canabidiol no combate a patologias. “Dentro da odontologia, por exemplo, a gente vem tratando muitos casos de bruxismo, algumas neuropatias da face, entre outros casos, através dos fitocanabinóides. Isso proporciona aos pacientes mais uma possibilidade de resolver seus problemas de saúde”.

 Dicom TJAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *