14 de janeiro de 2022

Justiça Federal em Alagoas conta com mecanismo que facilita busca e acompanhamento de processos

Sistema atual permite busca por nome, CPF ou CNPJ e facilita para usuários e advogados

Os usuários da Justiça Federal em Alagoas (JFAL) passam a contar com uma nova ferramenta de busca processual. A partir de agora, ao acessar o site principal da JFAL, o internauta interessado em identificar e localizar seus processos precisará, apenas, clicar no banner “Busca processual unificada”, para saber em qual sistema está cada processo ou vários. Até essa semana era preciso saber em qual dos cinco sistemas eletrônicos o processo estava para, só assim, conseguir acompanhá-lo. A nova ferramenta começou a operar nesta sexta-feira, 14, e está disponível para o público em geral.

O sistema Business Intelligence (BI) foi possível ser implantado após um trabalho em rede, colaborativo e participativo com vistas a execução de várias atividades da Justiça Federal da 5ª Região (JF5). Utilizado pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) desde 2015, o sistema BI tem o papel de, entre suas principais funções, organizar dados e gerar informações estatísticas e gerenciais, a partir de elementos extraídos dos sistemas judiciais e administrativos. Os painéis desenvolvidos a partir do material coletado também podem, por exemplo, auxiliar os gestores nas tomadas de decisão.

Até se tornar realidade, o assunto foi discutido por um comitê próprio, criado por ato do TRF5. Gunnar Dornelles Trennepohl e Francisco Dalton Barbosa Dias, da JFAL, foram designados para composição do comitê. “Essa foi uma iniciativa da Seção Judiciária de Alagoas, através do Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI), e disponibilizada para as demais Seções. Tudo começou quando, durante a fase de discussões do comitê, um servidor aqui da JFAL alertou para as dificuldades em encontrar processos, não apenas em Alagoas, mas em todas as demais unidades do TRF5”, explica Gunnar.

Depois desse fato, a equipe passou a observar melhor a forma de pesquisa processual e confirmou a dificuldade. São cinco os sistemas em funcionamento: Creta, que é do Juizado Especial; o PJe, da Justiça Comum; o PJE 2.x, uma ferramenta que passou a ser utilizada recentemente pelos juizados e Seeu, de execução penal. “Antes, era preciso saber qual a competência do processo, onde tramita para, só depois, conseguir acompanhá-lo. A partir de agora, está mais fácil”, resumiu Gunnar. O novo sistema de busca reúne o CPF e o nome para, a partir daí, indicar todas as informações da parte relacionada ao processo.

Dalton Barbosa explica que o maior desafio, no momento de amadurecimento do projeto, foi reunir os diversos sistemas, pelo fato de ter sido desenvolvido por empresas diferentes, que utilizaram sistemas distintos. “O apoio do TRF5 nesse trabalho foi fundamental para chegarmos a essa unificação”, explica ele.

Técnico judiciário da 1ª Vara da Justiça Federal em Alagoas, Branciel Isidio de Araújo foi quem atentou para o longo caminho a ser seguido pelo usuário interessado em acompanhar um processo. Ele recorda que, certa vez, atendeu a uma advogada de São Paulo, com dificuldade para acompanhar o processo de um cliente. “A partir daí sugeri relacionar o processo ao CPF do jurisdicionado, adicionando mecanismos de segurança, para garantir praticidade ao usuário”, explicou ele, relatando como se posicionou nas reuniões do Comitê BI da JFAL.

O sistema, agora em funcionamento por iniciativa da Justiça Federal em Alagoas, será disponibilizado aos demais estados do TRF5. Com isso, brevemente será possível contar com uma forma prática e rápida para acompanhamento processual.

Ascom JFAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *