21 de julho de 2021

Paespe da Ufal quer ouvir egressos para saber impacto social do programa

Com uma trajetória de 28 anos de muito trabalho e dedicação, o Programa de Apoio aos Estudantes das Escolas Públicas do Estado (Paespe) quer saber como estão seus ex-alunos e mensurar o impacto social gerado a cada participante. O formulário on-line já está disponível aqui e também nas sociais para ser respondido pelos egressos.

De acordo com a vice-coordenadora do programa, Geiza Correia Gomes, o objetivo do formulário é acompanhar a trajetória dos alunos que passaram pelo Paespe desde 1993. “Queremos investigar o valor social atribuído a cada beneficiado, por isso, convidamos participantes das turmas Paespe Júnior e Paespe a responder o formulário”, ressaltou.

“A primeira turma do Paespe foi no Cepa [Centro de estudos e Pesquisa Aplicada], no ano 1993, sob idealização do professor Roberaldo Souza. A partir de 2004 essa iniciativa social se tornou um Programa de Extensão da Ufal. DE lá para cá são 28 anos de contribuição à sociedade. Através do formulário queremos mapear os participantes do Programa e a mobilidade social vivenciada por eles”, destacou Geiza Correia, professora voluntária da Ufal e egressa da 2ª turma do Programa.

O que é o Paespe 

O Paespe é uma tecnologia social certificada pela Fundação Banco do Brasil (FBB), que atende diretamente ao ODS 4 (Educação de Qualidade). Segundo a professora Geiza, o Programa busca trazer ensino gratuito e de qualidade para alunos em situação de vulnerabilidade socioeconômica. “O objetivo é ampliar as oportunidades de ingresso desses alunos no ensino superior”, disse.

Para funcionar e atender a esse público, professores e universitários da Ufal são voluntários do programa e ministram não apenas aulas, mas ajudam na formação e melhora da autoestima desses jovens. “Nossos professores e universitários se doam através de serviço voluntário. O grupo de universitários é formado por egressos do Programa, discentes dos PET [Programas de Educação Tutorial], do Pibid [Programa de Iniciação à Docência], do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde e de Empresas Juniores do Centro e Tecnologia”, completou.

Além do pré-vestibular social, são realizadas atividades multidisciplinares, como palestras, oficinas e visitas técnicas. “Além da iniciação científica no ensino médio, fomentando o ingresso desses alunos em Instituições de Ensino Superior. Também faz parte do Programa, o curso de Informática Básica para jovens e adultos. A principal atuação se dá por meio dos projetos Paespe Júnior, voltado a alunos das 1ª e 2ª séries do ensino médio, e o Paespe, destinado aos alunos da 3ª série do médio”, revelou a vice-coordenadora.

https://ufal.br/estudante/noticias/2021/7/paespe-quer-ouvir-egressos-para-saber-impacto-social-do-programa

Ascom Ufal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *