14 de maio de 2021

Municípios de Roteiro e Jequiá terão suas primeiras escolas da rede pública estadual

Manuella Nobre

Terreno da Escola de Jequiá da Praia

Ricas em beleza e  cercadas de verdadeiros cartões-postais do Litoral Sul alagoano, as cidades de Jequiá da Praia e Roteiro eram carentes em investimentos na educação. Após décadas de espera, poderão contar, em breve, com suas primeiras escolas da rede pública estadual. Com a assinatura das ordens de serviço pelo governador Renan Filho e um investimento de quase 8 milhões de reais, os municípios –  que hoje dependem de outras unidades da região – garantirão independência e ampliarão a oferta de ensino médio de qualidade para jovens e adultos.

Em Jequiá, as obras já tiveram início, enquanto, em Roteiro, a ordem de serviço já foi assinada, com a construção começando em breve. As duas unidades seguirão o padrão das novas escolas em construção pelo governo por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc): 12 salas de aula, auditório, biblioteca, sala de informática, de grêmio e dos professores, além de laboratórios, diretoria, coordenação, secretaria, refeitório, cozinha, banheiros, quadra coberta e campo society. Juntas, elas poderão atender 1600 alunos.

Obstáculos superados – Atualmente, os estudantes do ensino médio regular e Educação de Jovens e Adultos (EJA) nos dois municípios são atendidos por duas extensões: em Roteiro, da Escola Estadual Tarcísio Soares Palmeira, cuja sede é em São Miguel dos Campos, enquanto, a Escola Estadual Djalma Barros, de Coruripe, possui extensão para os estudantes de Jequiá. Até 2018, estes mesmos alunos de Jequiá estudavam em extensão da Escola Estadual Ana Lins,  também de São Miguel dos Campos.

Mas, segundo gestores, ex-gestores e ex-estudantes, desde o final da década de 90, que eles aguardam essas escolas. Eles relatam a dura realidade que vivenciaram aqueles que queriam cursar o ensino médio. Eles precisavam ser transportados para municípios vizinhos a fim de garantir o avanço nos estudos.

Roteiro –  Gestora da Escola Estadual Tarcísio Soares Palmeira, Genivânia Justino divide seu tempo entre a sede em São Miguel dos Campos e a extensão em Roteiro, que, atualmente, atende 385 estudantes (dos quais 101 na EJA) no período noturno e funciona  na sede da Escola Municipal Francisco Sebastião Soares Palmeira. Ela comemora o anúncio da nova escola e recorda o percurso dos estudantes de Roteiro para cursarem o ensino médio.

“Antes de termos uma extensão, os alunos iam para a cidade de São Miguel e levavam quase uma hora para chegarem à escola em virtude das dificuldades  de acesso, o que fazia com que eles saíssem cedo e chegassem tarde em casa. Então,  em 2012, após reivindicação dos pais, foi instalada uma extensão: 5 turmas, no noturno. Com o passar do tempo, aquela extensão também passou a não nos comportar e viemos para este novo espaço em parceria com o Município. Em 2016, por ser uma escola maior, tentamos abrir a oferta para o diurno novamente, mas, em virtude do crescimento dos alunos da rede municipal, tivemos que migrar tudo para o noturno”, lembra Genivânia.

Ainda segundo a gestora, que hoje dá conta de 32 turmas somando a sede e a extensão,  além da importância de se ter um gestor voltado exclusivamente para uma unidade, outro aspecto a ser assegurado pela nova escola será a questão da identidade.

“É importante para o aluno ter a sua própria escola. Muitos passaram todo o fundamental aqui, na Escola Francisco. E, ao chegar ao ensino médio e permanecerem no mesmo prédio, muitos confundem, pensam que ainda são Escola Francisco. Ter uma escola de ensino médio para identificar como sua vai ser muito importante e acredito que, para os pais, será ainda melhor, pela satisfação de terem os filhos estudando mais próximos de suas casas, terem mais controle, mais segurança”, avalia Genivânia.

Jequiá – A situação em Jequiá é ainda mais complexa. Segundo o gestor Joaquim Honorato, há quatro anos a extensão precisou ser subdividida em duas unidades da rede municipal – José Calazans de Medeiros e José Cursino dos Santos – para comportar cerca de 400 alunos, distribuídos entre nove salas de aula de ensino médio regular e 3 de EJA. Ele explica que o funcionamento também é noturno e cerca de 80% dos alunos são da região lagunar.

“Apesar das escolas serem próximas, a dificuldade para a gestão é grande. Toda documentação hoje fica sob a guarda da escola sede, em Coruripe. Declarações são feitas na extensão, mas históricos e outras ações da secretaria escolar ficam na sede. Essa escola vem para fechar essa lacuna e deixar Jequiá com o ensino mais fortalecido. Acredito que o número de alunos, se não dobrar, chegará próximo, atraindo jovens de povoados vizinhos. Não beneficiará apenas o município, mas a região”, aposta.

Como morador, servidor público e gestor, Joaquim diz que a construção da unidade representa a realização de um sonho. “Essa escola é uma benção. Há muito tempo que nossa cidade necessita. Eu mesmo já fui em Maceió muitas vezes  e ouvi muitas promessas. Graças a Deus, agora estou vendo que vai acontecer de fato e é um sonho realizado. Durante todo meu tempo de trabalho na rede estadual eu luto por isto”, frisa.

A gestora da Escola Estadual Ana Lins e ex-gestora da extensão, Josimeire Queiroz de Mendonça, também recebe com alegria a nova conquista. “Eu fico muito feliz em saber que, finalmente, a comunidade de Jequiá vai ter sua própria escola estadual. Quando a escola era extensão da Ana Lins era muito complicado. Primeiro, porque tínhamos que cuidar da Ana Lins nos três turnos e ainda atender a extensão. Era um cenário que ficava muito a desejar para nossos alunos. Muito feliz que, agora, eles terão sua própria escola e, com ela, sua independência”, relembra a ex-gestora.

Novas Escolas – As novas escolas da Rede Pública Estadual de Roteiro e Jequiá da Praia compõem o bloco das novas escolas a serem construídas e entregues pelo governador Renan Filho.

Fonte: Agência Alagoas 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *