12 de novembro de 2020

Correspondente bancário será instalado em Fernão Velho em até 30 dias

Patrícia, dona do supermercado que vai receber o correspondente bancário

Dentro de, no máximo 30 dias, a população da região de Fernão Velho, Rio Novo, ABC e Matadouro, parte alta da cidade, receberá um serviço relativamente básico, mas que representa dignidade, respeito e atenção. Esse foi o prazo estabelecido pela gerência de Varejo da Caixa Econômica Federal (CEF) para a instalação de um correspondente bancário na localidade.

Não há estimativas de quantas pessoas serão atendidas, nem o volume de recursos que deverá ser movimentado, mas a realidade é que a ansiedade já está presente junto aos moradores. É o que revela a aposentada Maria Lúcia Santos, de 68 anos, que precisa se deslocar ao Centro da cidade para receber a aposentadoria e fazer pequenas compras. “Vou de lotação e pago R$ 30 para receber meu dinheirinho e voltar. Com esse serviço aqui, vai ser uma maravilha. Fiquei muito feliz com a notícia”, relatou ela.

Quem também comemora é Jadson Rodrigues. Morador há mais de 30 anos, ele ressalta que a região está esquecida. “E esse é um serviço essencial. Quem não vai ao Centro para resolver os assuntos bancários, vai até a Bomba do Gonzaga, mas que, igualmente, é de muito contratempo. Agradeço demais a chegada desse serviço. Isso significa mais conforto e segurança para nós, que aqui residimos, além de respeito, reconhecimento e dignidade”, considera Jadson.

A chegada do correspondente bancário para a região de Fernão Velho e adjacências atende a uma demanda apresentada pelo Fórum Eclesiástico de Alagoas, presidido pelo administrador Alan Balbino. Desde quando foi provocada pela instituição, no início do ano, a CEF estuda a medida. Na manhã desta quarta-feira, 11, a gerência do banco realizou uma visita in loco, a fim de conhecer o local em que deverá ser instalado o equipamento e solicitar a documentação necessária.

De acordo com a gerente de Varejo da Caixa, Amanda Chagas, é função do banco levar os serviços de atendimento social à população. “Temos discutido esse processo e, agora, viemos conhecer o espaço reservado pelo supermercado ABC Alimentos para a instalação do correspondente. Agora, solicitamos a documentação para atestar a idoneidade da empresa e a situação contábil para finalizarmos o processo em, até, 30 dias”, confirmou Amanda.

O correspondente bancário será capaz de realizar pagamentos e recebimentos em geral, benefícios, como o Bolsa-família, depósito em conta e, até mesmo, empréstimos, a depender da demanda. “E não descartamos um segundo posto, no futuro, caso seja identificada a necessidade”, acrescentou a gerente de Varejo da CEF.

Proprietária do supermercado ABC Alimentos, Patrícia Souza disse que o estabelecimento existe há 15 anos e percebeu, há muito tempo, essa necessidade da população. “E agradeço ao Fórum Eclesiástico esse olhar humano e social por essa população”, afirma Patrícia. Segundo ela, tão logo comece a operar, o correspondente bancário fará apenas pagamentos de salários e benefícios e recebimentos de contas. Conforme forem surgindo as necessidades dos consumidores, os serviços serão ampliados paulatinamente.

Representante do Fórum Eclesiástico durante a visita técnica, a advogada Valdjane Terto reforçou a visão social para a localidade. “O coordenador da entidade, Alan Balbino, começou as conversações para a oferta desses serviços ainda em fevereiro, mas tivemos dificuldade em virtude da pandemia do novo coronavírus mas, apesar de tudo, superamos e estamos nessa fase final do processo, que dará muito mais tranquilidade à população local”, relatou Valdjane.

Delane Barros

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *