15 de setembro de 2020

Educação de Alagoas ultrapassa metas do Ideb nos anos iniciais e finais do ensino fundamental

Programa Escola 10 traz melhorias para a Educação de Alagoas

A eficácia do Programa Escola 10 e a dedicação de todos que fazem parte da educação pública alagoana, tanto na rede estadual, quanto nas redes municipais, foram comprovadas pelo resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019. Os dados, divulgados na manhã desta terça-feira (15) pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), mostram que Alagoas conseguiu ultrapassar as metas estipuladas para os Anos Iniciais e Finais do ensino fundamental.

O resultado foi obtido por meio do cruzamento de dados do Censo Escolar junto ao exame do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que busca um diagnóstico da educação básica brasileira para identificar os fatores que podem interferir no desempenho do estudante.

O resultado do Ideb mostra que, enquanto nos anos iniciais do ensino fundamental a meta estipulada para o ano de 2019 foi de 4,3 pontos, a rede pública alagoana conseguiu ultrapassar e chegar a 5,3 pontos – um resultado 7,54% maior que em 2017, quando a rede pública alcançou 4,9 pontos. Já nos anos finais do ensino fundamental, enquanto a meta para o ano de 2019 era 4,1 pontos, a rede pública conseguiu atingir 4,5 pontos, um aumento de cerca de 13,33% em relação ao resultado de 2017, quando a rede pública atingiu 3,9 pontos.

Dos 26 estados brasileiros mais o Distrito Federal, 22 aumentaram o Ideb, mas apenas sete alcançaram a meta proposta para 2019 para os anos finais do ensino fundamental, e Alagoas está entre eles. Os demais são o Amazonas, Piauí, Ceará, Pernambuco, Paraná e Goiás.

No ensino médio o avanço foi de 8,33% em relação à última avaliação em 2017, quando a rede estadual atingiu 3,3 pontos. Em 2019 houve evolução do aprendizado e o índice alagoano chegou a 3,6 pontos.

“Nós temos feito um trabalho constante e firme em Alagoas, sobretudo por meio do Programa Escola 10, que articula esforços com os municípios alagoanos, premia os mais bem-sucedidos, valoriza e acompanha o trabalho dos professores e coordenadores, integrando a parte pedagógica. Isso tem dado uma nova lógica à educação de Alagoas, o que permitiu ao estado ser um dos que mais avançaram no Brasil nos últimos anos. A meta foi atingida em 94% dos municípios”, declarou o governador Renan Filho.

Para a secretária da Educação, professora Laura Souza, os resultados refletem um crescimento consistente do Ideb: “A gente considera um crescimento sustentável. Agradeço aos profissionais da Educação que estão na ponta, pois sem eles nada seria possível, e também ao governador Renan Filho, que sempre priorizou a Educação e apoia as ações da Seduc, principalmente o programa Escola 10, criado na gestão do vice-governador Luciano Barbosa, que foi secretário até início deste ano”.

Destaque dos municípios – O empenho e trabalho coletivo promovido por meio do Programa Escola 10, com o regime de colaboração entre o Estado e os Municípios, trouxe avanços. Alagoas se destaca entre os estados com maior percentual de municípios que atingiram as metas estipuladas para a rede pública nos anos inicias do ensino fundamental, com 94,1% dos municípios, ficando atrás apenas do Ceará, que teve 98,9% dos municípios atingindo a meta.

Regime de colaboração – Implantado no início de 2017, o Programa Escola 10 vem proporcionado grandes avanços no ensino público alagoano, aproximando o Estado dos municípios e caminhando com um só objetivo: melhorar os índices educacionais e possibilitar o melhor desempenho na aprendizagem dos alunos. Com mais de R$ 30 milhões investidos, o programa busca garantir que todos os alunos da rede pública estejam alfabetizados em língua portuguesa e matemática até o final do 3º ano do Ensino Fundamental, reduzir os índices de analfabetismo e de evasão escolar, além de diminuir a distorção idade-série, além de propiciar aumento do Ideb.

Dentre as principais estratégias estão o acompanhamento pedagógico de todas as escolas públicas municipais e estaduais, com a realização da Prova Alagoas, diagnóstico, fornecimento de material didático complementar, além da designação de 3 mil articuladores de ensino para atuar em todas as escolas. Há ainda formações para articuladores, secretários municipais de Educação e para os gestores e professores das escolas da rede estadual.

O programa se tornou Lei em novembro de 2018, após ser sancionada pelo então governador em exercício Luciano Barbosa, transformando-se em política permanente de garantia de direitos de aprendizagem dos estudantes das redes públicas municipais e estadual em Alagoas.

 

José Arnaldo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *