Close
Terça-feira, 12 de novembro de 2019  
 
MACEIO
25 °C
 
MACEIO
25 °C
 
ARAPIRACA
22 °C
 
CORURIPE
24 °C
 
MARAGOGI
25 °C
 
PALMEIRA DOS INDIOS
22 °C

Cultura

8 de novembro de 2019

Escritores arapiraquenses publicam obras na Bienal Internacional do Livro

Janu Leite publicou seu primeiro livro infantil (Foto: Imprensa Oficial Graciliano Ramos/ cortesia)

A literatura está em alta em Arapiraca. Após a realização, ano passado, da primeira edição da Feira Literária de Arapiraca (Fliara), com lançamentos e mesas-redondas, agora é a vez dos escritores da terra se destacarem na capital alagoana.

No tradicional bairro histórico de Jaraguá está acontecendo, desde o início deste mês de novembro, a 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas.

Nesta quarta-feira (6), o cordelista arapiraquense Cárlisson Galdino publicou quatros obras de literatura de cordel: Fazendo Um Cordel em Sextilhas (cordel educativo), Visita de Lampião Elétrico (cyberagreste), Os 12 Astros do Espaço (cordelpédia) e O Comunista e o Capitalista (peleja).

Cárlisson Galdino é membro da Acala (Foto: Arquivo pessoal)

O lançamento foi realizado no estande da centenária Academia Alagoana de Letras (AAL) e coroou o número de 80 livretos feitos por Cárlisson, que é membro da Academia Arapiraquense de Letras e Artes (Acala), um arauto do cordel no Agreste.

“Acho muito importante eventos como esse para a aproximação dos autores com o público, agentes culturais e interessados em Cultura de modo geral”, diz.

Além dele, outros escritores arapiraquense vinculados à Acala também lançaram livros e cordéis: “Teatro o Ano Inteiro” e “Uma História Puxa Outra”, de Marluce Bispo; “Trabalho Docente e Adoecimento: um estudo sobre as problemáticas existentes no contexto escolar das escolas de Arapiraca”, “Educação, Tecnologia e Sociedade: novas abordagens educacionais”, “Coc by Pearson em Arapiraca” e “Cordel da FERA”, de Carla Emanuele Farias; “IndignAÇÃO”, de Márcio Martins; “A Formação em Enfermagem no Brasil e as Imposições do Capital em Crise”, de Filipe Cavalcanti; “Questão de Consciência”, de Cláudio Olímpio; e “Livreto de Cordel Alagoas de Canto a Canto e Encantos”, de Ronaldo Oliveira.

Capa em xilogravura de “Visita de Lampião Elétrico” é assinada por Luiz Natividade (Foto: Arquivo pessoal)

Outro arapiraquense que lançou livro por lá, onde fica o estande da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, foi o escritor, músico e produtor cultural Janu Leite, no último dia 3.

Ele foi selecionado por meio de edital da Imprensa Oficial. Seu livro infantil “Ebe – Em Busca do Mestre Guerreiro da Canafístula” saiu pelo selo Coco de Roda.

“Quero lançar também este livro aqui na nossa cidade durante a nova edição da Fliara [Feira Literária de Arapiraca]. A premissa da obra é aquilo que venho trabalhando em meus outros projetos: a junção da cultura popular como a cultura pop, coisa que faço desde a proposta musical do álbum ‘Matuto Urbano’. Na trama, o extraterrestre Ebe sai de seu planeta natal para conseguir um chapéu de guerreiro e acaba desembarcando em Arapiraca”, comenta ele, ressaltando o ótimo trabalho do ilustrador Diego Malta, que se inspirou em HQs e na cultura japonesa para traduzir a história em imagens.

O artista pretende embarcar ainda mais no universo lúdico (Foto: Imprensa Oficial Graciliano Ramos/ cortesia)

Segundo Janu, durante o lançamento muitas crianças, no ato dos autógrafos, confidenciaram querer serem ETs também, assim como Ebe, a fim de explorarem o espaço sideral.

“O que mais me surpreendeu na Bienal foi realmente ver dezenas de pessoas comprando meu livro, gente que nem conheço. Essa é a beleza da arte! Ela – a arte, a obra – vai parar na casa dessas pessoas, sem pretensão alguma nossa de sucesso. E esse estímulo à leitura é muito importante com eventos assim”, conclui ele, que ainda enfatizou a satisfação de editais abertos como esse da Graciliano, oportunizando novos escritores e escritoras da terra.

Outro autor arapiraquense, radicado em Teotônio Vilela, é Marlon Silva. Ele também foi selecionado via edital da Imprensa Oficial, o de Publicação de Obras de Ficção, e passou na categoria Contos com a obra “Monossílabo”.

Marlon está se aventurando de novo nos contos (Foto: Reprodução/ internet)

Nas redes sociais, ele dedicou a conquista à poeta, contista e tradutora curitibana Luci Collin, com quem fez aulas no Sesc Arapiraca em 2017.

Ela o incentivou a escrever se arriscar novamente na categoria Conto – Marlon é também poeta, com diversos livros publicados, o último sendo o “Ocre Barro”, igualmente publicado pela Graciliano.

O lançamento deste seu “Monossílabo” ocorrerá neste sábado (9), às 19h no Arquivo Público de Alagoas, também na Bienal, no estande da Imprensa Oficial. De fato, a literatura de Arapiraca está em alta.

Ascom Arapiraca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *