13 de agosto de 2019

Juízas do TJAL levam campanha Agosto Lilás para Estádio Rei Pelé

As juízas Marcella Garcia e Carolina Valões, junto com a servidora Ana Paula, exibiram faixa da campanha Agosto Lilás.As juízas Marcella Garcia e Carolina Valões, junto com a servidora Ana Paula, exibiram faixa da campanha Agosto Lilás. Foto: Caio Loureiro

A campanha Agosto Lilás, por meio da Coordenadoria Estadual da Mulher do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), foi até o Estádio Rei Pelé, na noite desta segunda-feira (12), e participou da rodada do Campeonato Brasileiro no jogo do CSA contra o Fortaleza. Com um público predominantemente masculino, a ação teve como objetivo conscientizar os torcedores sobre a necessidade de combater a violência contra a mulher.

As juízas Carolina Valões e Marcella Garcia, integrantes da Coordenadoria da Mulher, participaram da ação do Agosto Lilás que existe desde 2017, fazendo referência à data de sanção da Lei Maria da Penha, que comemorou 13 anos no dia 7 de agosto deste ano.

A juíza Carolina Valões explicou que a ação foi pensada com o objetivo educativo e não ostensivo. “A mensagem que a gente escreveu foi ‘Diga não a violência contra as mulheres. Não se cale’, para não passar uma ideia, mesmo que subliminar, de ameaça. Foi uma ação educativa para orientar os rapazes e os senhores que vieram ao estádio hoje no sentido de propagar, educar seus filhos para dizer não a violência contra as mulheres”, disse a magistrada.

A magistrada Marcella Pontes destacou que a importância do Poder Judiciário contar com esse tipo de parceria para divulgação de campanhas voltadas para a sociedade. “Viemos mostrar que o Agosto Lilás não está limitado apenas para as mulheres, precisamos estender essa campanha para os homens. É importante a conscientização da igualdade de gênero, que as crianças aqui presentes repliquem, agucem a curiosidade sobre o tema e que possamos efetivar esse combate não só na forma repressiva, mas também de forma preventiva. O que almejamos é que esses pais possam ensinar sobre a importância da igualdade de gênero”, disse a magistrada.

O diretor de Competições da Federação Alagoana de Futebol (FAF), Luciano Sampaio, lembrou que esta é a segunda vez que colabora com o Poder Judiciário em campanhas de cunho social, como em fevereiro deste ano quando crianças mais velhas e adolescentes deram uma volta olímpica no campo antes do início da partida, segurando faixa da campanha Adoções Possíveis.

Desde o início deste mês, o Poder Judiciário alagoano vem realizando ações de conscientização como distribuição de panfletos no centro da cidade e em um shopping de grande circulação da capital contendo informações úteis sobre os tipos de violência, como denunciar e onde procurar uma rede de apoio, entre outras atividades.

Robertta Farias – Dicom TJAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *