13 de agosto de 2019

Comissão Especial da Assembleia discute relatório da CPRM sobre caso Pinheiro

Comissão Especial da Assembleia discute relatório da CPRM sobre caso Pinheiro

Os deputados estaduais Cabo Bebeto (PSL) e Davi Maia (DEM), que compõem a Comissão Especial do Pinheiro, Mutange e Bebedouro, estiveram reunidos com o representante da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), o geólogo Thales Sampaio; da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Alagoas (Fecomércio/AL), comerciantes e moradores do Pinheiro, Mutange e Bebedouro; e os vereadores por Maceió, Francisco Sales e Kleber Costa, para debater a situação atual dos três bairros e de seus moradores. A reunião serviu ainda, para atualizar os dados do relatório divulgados pelos técnicos da CPRM no ano passado.

Cabo Bebeto se mostrou satisfeito com a reunião e disse que vem recebendo várias reclamações de que a Caixa Econômica Federal vem dificultando a liberação dos recursos relativos ao seguro obrigatório aos mutuários do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) que residem nas áreas de risco de desmoronamento. “Na próxima quarta-feira terá uma reunião da CPRM com a Caixa, em Brasília, para debater a questão do seguro e irei fazer o possível para participar”, afirmou. O deputado disse ainda que vai marcar para os próximos dias, uma reunião da comissão com representantes da Braskem. “A situação é bastante séria e complexa, por isso a população precisa acompanhar de perto o que vem acontecendo. Estamos trabalhando junto para dar uma solução e uma resposta aos moradores”, destacou.

Thales Sampaio afirmou que a solução do problema que aflige milhares de famílias depende de um esforço multidisciplinar envolvendo vários profissionais e a universidade. “Foi uma reunião bastante proveitosa porque tivemos a oportunidade de responder alguns questionamentos dos moradores e esclarecer alguns pontos do relatório que fizemos sobre a situação da região. Explicamos tudo que foi feito pelos pesquisadores do Sistema Geológico do Brasil. É preciso deixar claro que as causas já foram identificadas, agora precisamos ajudar na solução das questões que são bastante graves”, disse.

O presidente da Associação dos Empreendedores do bairro do Pinheiro e adjacência, Alexandre Sampaio, destacou que a associação busca juridicamente a solução para reparar os danos causados aos moradores dos bairros atingidos. “Vivemos num Estado democrático de direito, então é preciso que se prove na justiça quem são os responsáveis por tudo aquilo que vem acontecendo. O relatório da CPRM foi claro e definitivo, a responsabilidade da subsidência e das rachaduras vem da mineração feita pela Braskem e por isso precisamos de uma decisão final da justiça no âmbito civil, financeiro e criminal. É preciso deixar claro ainda que a Braskem não agiu sozinha, tivemos a omissão de órgãos municipais, estaduais e federais”, afirmou.

Fecomércio

A representante da Fecomércio na reunião, jornalista Graça Carvalho, distribuiu à imprensa uma nota da entidade com intuito de prestar contas à sociedade sobre as ações do órgão em defesa dos empresários e empreendedores dos três bairros afetados por abalos sísmicos. “As ações incluem, até o momento, três pesquisa do Instituto Fecomércio relativas ao impacto do dano ambiental no contexto socioeconômico dos bairros atingidos; ofício às autoridades constituídas e participação em grupos de trabalho e audiência pública, em busca de benefícios fiscais, de linhas de créditos diferenciadas, de ações de segurança, atenção saúde, entre outros; provocação do Conselho Estadual de Proteção ao Meio Ambiente para discussão do dano ambiental à região e participação na Câmara Técnica instituída pelo órgão para o acompanhamento permanente da situação”, diz a nota, que relata ainda outras iniciativas da Fecomércio.

Fonte: Ascom ALE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *