12 de agosto de 2019

Águas do Canal do Sertão já chegam aos sertanejos por meio de adutoras implantadas pela Codevasf

As águas do Canal do Sertão Alagoano, uma das maiores obras de infraestrutura hídrica do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), já chegam às casas de famílias sertanejas com a conclusão da Etapa 2 dos sistremas adutores executada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). O projeto da Codevasf para implantação de adutoras para levar água para consumo humano e dessedentação animal a diversas comunidades rurais difusas ao longo do canal está dividido em quatro etapas com previsão de entrega de mais duas até o final de 2019.

O agricultor José Reginaldo, 53 anos, é morador há 13 anos do povoado Bom Jesus, em Delmiro Gouveia (AL), uma das localidades que já possui acesso à água por meio das adutoras implantadas pela Codevasf. Nesse período, passou muito dificuldade para ter acesso à água para a família. Hoje ele comemora estar a poucos quilômetros do Canal do Sertão Alagoano é poder utilizar a água para consumo dele, da esposa e dos filhos.

“Há 13 anos que moramos aqui e para ter água, eu tinha que buscar em carroça de burro. Mesmo o abastecimento por carro-pipa aqui era muito difícil. Mas agora todo instante temos água. A Codevasf fez uma grande trabalho e a comunidade está bem satisfeita”, declarou José Reginaldo.

A Etapa 2 do projeto corresponde ao subsistema de adutoras IV e atende às comunidades de Bom Jesus, Maria Bonita, Jurema Araçá, Lagoa dos Patos e Olho d’Aguinha nos municípios de Água Branca (AL) e Delmiro Gouveia. Ao todo, são cerca de 1500 pessoas beneficiadas. O povoado Pedrão, em Delmiro Gouveia, que compõe o subsistema V, foi incluído na etapa 2 e também já conta com acesso à água.

Segundo o engenheiro civil da Codevasf Fernando Scafura, responsável pela execução da obra, à medida que a implantação dos subsistemas de cada etapa for concluída, a infraestrutura já será entregue à Codevasf para testes e posterior entrega à comunidade.

“As etapas do projeto estão organizadas de moda que, ao concluir uma etapa, ela seja entregue sem necessidade de aguardar toda a conclusão de cada subsistema. A segunda Etapa já está concluída. Isso significa que concluímos a implantação da captação de água no Canal do Sertão com estação de bombeamento, a estação de tratamento da água para distribuição para as residências já tratadas para consumo humano, a rede de distribuição que sai da estação de tratamento e percorre cada um dos povoados, chegando na porta das casas das famílias já com hidrômetro instalado”, relatou Scafura.

O engenheiro civil da Codevasf adiantou que a rede de distribuição vai até 1 metro para dentro da cerca da residência rural e que cada família ficará responsável pela ligação da residência à rede de distribuição. “Há diversas famílias que fizeram a ligação da casa à rede e já tomam banho com água no chuveiro”, revelou Scafura.

Atualmente, as obras avançam nos subsistemas II, da Etapa 1, e VI, da Etapa 3. No VI, já foi implantado um trecho de tubulação de rede adutora e a estação de tratamento de água, além da conclusão da obra civil do sistema de captação de água no Canal do Sertão.

O superintendente regional da Codevasf em Alagoas destaca que até o final deste ano outras duas etapas estejam concluídas e a água do Canal do Sertão Alagoano chegará à casa de mais famílias sertanejas.

“Pelo ritmo das obras e também pelo empenho da Codevasf em promover o direito humano de acesso à água potável, pretendemos entregar as Etapas II e VI até dezembro deste ano. Também já estamos realizando os arranjos institucionais junto às comunidades para definição do modelo de gestão das adutoras como forma de dar sustentabilidade à função social do Canal do Sertão”, afirmou Marlan Ferreira.

ADUTORAS NO CANAL DE SERTÃO ALAGOANO

Além da Etapa II, o projeto da Codevasf para levar água do Canal do Sertão Alagoano para comunidades rurais difusas no semiárido de Alagoas possui mais três etapas.

A Etapa I compreende o subsistema II, que está inteiramente localizado no interior de Água Branca e atenderá aos povoados Lagoa das Pedras, CAU e Moreira de Baixo. A infraestrutura hídrica possui 5,8 quilômetros de extensão de adutora de água bruta e 15,06 quilômetros de extensão de rede de distribuição de água tratada.

Já a Etapa 3 engloba o subsistema VI e prevê o atendimento aos povoados Frade, Cansanção e Mandacaru, no interior de Água Branca. Esse subsistema conta com uma extensão de adutora de água bruta de 7,39 quilômetros e extensão de rede de distribuição de água tratada de 16,6 quilômetros.

Por fim, na Etapa 4, está o subsistema VIII que contempla as comunidades distribuídas nos povoados Morro Vermelho, Papa Terra, Campo do Urubu, Várzea do Pico e Mulungu, em Água Branca, e Marcação, Burnil, Lagoa Preta e Corredor, em Pariconha. Nesse subsistema, a adutora de água bruta possui extensão de 5,43 quilômetros e a rede de distribuição de água tratada tem extensão de 50,6 quilômetros.

O Canal do Sertão Alagoano é uma obra estruturante do MDR, executada pelo Governo de Alagoas. A infraestrutura trará segurança hídrica para mais de 42 cidades ao assegurar o abastecimento regular da população. Quando concluído, o canal terá extensão total de 250 quilômetros, fazendo a captação de água no reservatório da usina hidrelétrica Apolônio Sales (Moxotó), no município de Delmiro Gouveia, e seguirá até o município de Arapiraca. Atualmente as obras estão no trecho IV, que se estende por 125 km até Olho d’Água das Flores.

Fonte: Ascom Codevasf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *