9 de maio de 2019

Polo Agroalimentar de Arapiraca beneficia a realização de pesquisas científicas em AL

Alunos do curso de Ciências Biológicas utilizam a estrutura do Polo para avaliar técnicas que possam diminuir poluentes da barragem da Bananeira, em Arapiraca

Alunos do curso de Ciências Biológicas utilizam a estrutura do Polo para avaliar técnicas que possam diminuir poluentes da barragem da Bananeira, em Arapiraca

Com uma estrutura que conta com laboratórios de tecnologia avançada para análise químico – microbiológico; solo, água e irrigação; produção semi-industrial de derivados da mandioca; processamentos de hortaliças e frutas e de agrometereologia, o Polo Tecnológico Agroalimentar de Arapiraca vem beneficiando o desenvolvimento de pesquisas científicas em Alagoas e incentivando as atividades nas comunidades da região do Agreste do Estado.

Numa parceria entre a Secretaria da Ciência, da Tecnologia e da Inovação (Secti) e da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), alunos do curso de Ciências Biológicas, desta instituição, utilizam a estrutura do Polo para avaliar o potencial de biorremediação da água da barragem da bananeira sob condições controladas, na tentativa de diminuir poluentes da barragem e beneficiar a comunidade Bananeira, no município de Arapiraca.

Segundo a professora pesquisadora da Uneal Esmeralda Lopes, essa pesquisa ainda é um ensaio, mas, a expectativa é que, ao final, a água da Barragem tenha uma qualidade melhor para ser utilizada no processo de irrigação. “Esperamos melhorar a qualidade da água proveniente da Barragem e utilizada na irrigação de hortaliças, diminuindo a presença de microorganismos indicadores de contaminação fecal (grupo coliformes), beneficiando a população local”, disse a professora.

Alunos do curso de Ciências Biológicas utilizam a estrutura do Polo para avaliar técnicas que possam diminuir poluentes da barragem da Bananeira, em Arapiraca (Foto: Esmeralda Lopes)

Além deste projeto, mais duas pesquisas estão em andamento no Polo: Análise microbiológica da água para o consumo humano de poços inseridos nos assentamentos de reforma agrária do estado de Alagoas; Bioprospecção de bactérias produtoras de enzimas celulóticas e amilolíticos dos resíduos gerados nas casas de farinha do Agreste.

Para a secretária da Secti, Ceci Rocha, a ideia é fortalecer o ambiente do Polo para que ele se torne ainda mais favorável ao fortalecimento da pesquisa, beneficiando as comunidades da região e municípios circunvizinhos. “Nossa meta é fortalecer o ambiente, melhorando a estrutura e as condições para o desenvolvimento da ciência. Pretendemos instalar um Núcleo de Inovação Tecnológica e uma Incubadora de empresas dentro do Polo”, afirmou

Sobre o Polo Agroalimentar de Arapiraca

O Polo Tecnológico Agroalimentar de Arapiraca compõe o Parque Tecnológico de Alagoas e tem como um dos objetivos criar um ambiente favorável ao fortalecimento da mandiocultura, horticultura e fruticultura e derivados na região Agreste. Ele fica estrategicamente situado na região na cidade de Arapiraca, município que fica a 130 km da capital alagoana, Maceió.

Geysa Miranda/Ascom Secti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *