9 de fevereiro de 2019

Serviço Geológico explica novas etapas de estudos no Pinheiro

Pesquisador da CPRM falou com a imprensa. Foto: Thiago Aquino / Secom Maceió

Pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) iniciaram uma nova e importante etapa de trabalho para investigação do subsolo no bairro Pinheiro. Para explicar os novos métodos, uma coletiva de imprensa com o coordenador das ações, o geólogo Thales Sampaio, e a Defesa Civil de Maceió foi realizada, na tarde desta sexta-feira (08), na sede da Prefeitura, em Jaraguá.

“Nós estamos desenvolvendo dois métodos geofísicos, gravimetria e audiomagnetotelúrico. Esses dois métodos vão investigar até 1.500m de profundidade. Através desses métodos, vamos saber se há cavernas e, inclusive, identificar estruturas geológicas e falhas”, explicou Sampaio.

Dinário Lemos, secretário de Defesa Civil de Maceió, e Thales Sampaio, geólogo da CPRM

Para execução dos trabalhos, os pesquisadores farão testes no bairro durante o final de semana. “O audiomagnetotelúrico é um método geofísico de ponta, estamos com o melhor equipamento que existe. Vamos fazer muitos pontos no bairro para investigar esses 1.500 metros de profundidade. O método utiliza corrente elétrica para explicar correntes elétricas naturais que existem no subsolo”, disse.

O especialista informou que se os testes apontarem a necessidade, pode haver interrupção do fornecimento de energia elétrica nos locais onde os estudos estão sendo feitos. Se for o caso, haverá divulgação antecipada das informações sobre as áreas onde haverá a suspensão do serviço.

“O método gravimétrico utiliza a gravidade do planeta Terra, ou seja, todo movimento que vai ao centro da Terra, e a gente utiliza uma série de parâmetros que é capaz de mostrar anomalias de densidade na rocha”, detalhou o pesquisador.

Empenho

Com a presença do secretário de Defesa Civil de Maceió, Dinário Lemos, o pesquisador também falou da importância da parceria com o Município, que acompanha de perto a situação do bairro, dando assistência à população.

Thales Sampaio destacou que os estudos continuam até que mostrem as causas das fissuras em vias e imóveis do Pinheiro. “Nós estamos completamente empenhados em esclarecer as causas do que a gente está observando na superfície do Pinheiro. Não sairemos do bairro sem esclarecer isso para população. Nós teremos equipes técnicas de geólogos, geofísicos, hidrogeólogos e geotécnicos no bairro até esclarecermos”, garantiu Thales.

Para mais informações sobre a próxima etapa do trabalho da CPRM, clique aqui .

Thiago Aquino / Secom Maceió

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *