24 de fevereiro de 2016

Técnicos defendem ações integradas de combate ao Aedes nos mutirões

O planejamento integrado entre as três esferas de governo para as ações de combate do Aedes aegypti foi discutido na reunião desta terça-feira (23), na sede da Defesa Civil estadual, em Maceió. O debate contou com a participação de técnicos da Secretaria de Saúde de Maceió e órgãos vinculados ao Município, do Ministério da Saúde e representantes do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems/AL), do Exército, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil. A coordenadora da Assessoria Técnica do Cosems, Sylvana Medeiros, reafirmou a importância de dados epidemiológicos para nortear as ações nos mutirões e trabalhos diários dos agentes de combate de endemias, agentes comunitários de saúde, Defesa Civil e demais órgãos envolvidos. “Fazemos um apelo em nome dos municípios para que a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) subsidie as ações com dados epidemiológicos para que as áreas vistoriadas sejam potencializadas no tocante ao impacto na redução do Aedes aegypti”. Sylvana ressalta a importância da informação das notificações de dengue e do mapeamento das áreas de risco para direcionar o trabalho das equipes nas cidades e bairros com maior infestação e que mais precisam de apoio. Para tanto, é necessário o planejamento integrado do Estado e municípios e demais órgãos envolvidos na questão. Durante a reunião, foi definida a operação do mutirão deste sábado (27), que acontece no bairro de Pajuçara, a partir das 7h30, em Maceió. A ação envolve agentes de endemias e de saúde, 120 homens da DC, Exército e Corpo de Bombeiros. A concentração será próxima ao Bompreço da Pajuçara. A técnica da Secretaria Municipal da Saúde, Carmem Samico, afirmou que as estratégias de inspeção nos imóveis e bairros precisam ser bem definidas para evitar a duplicidade de visitas. “Precisamos ter cuidado para não visitar as mesmas casas e quarteirões, mas concentrar equipes nas áreas ainda não vistoriadas”, reforçou. O técnico do Centro de Controle de Zoonoses, Manoel Gomes, disse que Maceió tem aproximadamente 500 mil imóveis e a meta é atingir 100% deles no primeiro ciclo, que termina no próximo dia 29. O major Pablo Nazareno, do 59 Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMTz), também considerou relevante o planejamento de ações para que haja retorno efetivo na redução dos focos do Aedes, mas enfatizou que o papel do Exército é reforçar as ações da DC . “A Defesa Civil é o planejador e será auxiliada pelos demais envolvidos na questão. É importante a consolidação de dados e ter cuidado com o encontro de informações entre os órgãos envolvidos”, destacou. O major Pablo disse ainda que, além de participar dos mutirões, o Exército vem realizando palestras educativas nas escolas, a exemplo do que a Secretaria de Saúde de Maceió vai fazer em 135 escolas, inserindo inclusive o trabalho com a dengue na grade curricular. O major Moisés Pereira, comandante da DC estadual, coordenou a reunião e já está em contato com a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Ademi) para promover a limpeza das construções e terrenos das construtoras, uma vez que estes locais são potenciais criadouros do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *