21 de dezembro de 2015

Luciano Barbosa destaca importância de ação conjunta contra o analfabetismo

“Não podemos mais fabricar analfabetos. E, para isto, precisamos de uma grande coesão para mudarmos os índices educacionais de Alagoas”. Com estas palavras, o secretário de Estado da Educação, Luciano Barbosa, conclamou a comunidade educacional para uma grande mobilização para combater o analfabetismo, durante a solenidade de entrega da Comenda do Mérito Educativo Alagoano, no Palácio República dos Palmares. Uma iniciativa do Conselho Estadual de Educação (CEE), a Comenda homenageia, anualmente, dez educadores com grandes serviços prestados à educação de Alagoas. Em seu discurso, Barbosa ressaltou que o combate ao analfabetismo exige duas frentes de trabalho: uma voltada para alfabetizar as crianças na idade certa – faixa etária de 6 a 8 anos de idade – e outra direcionada aos jovens, adultos e idosos que não sabem ler nem escrever. “Nesta segunda-feira, dia 21, o ministro Aloizio Mercadante vem a Maceió para o lançamento e assinatura do PNAIC, o Pacto pela Alfabetização na Idade Certa, que visa fazer com que crianças aprendam a ler e escrever na faixa etária certa. Em relação à alfabetização acima de 15 anos, faremos uma grande mobilização em parceria com a sociedade por meio do programa Uma Escola em Cada Esquina”, frisou.

Conselho

Em relação ao Conselho Estadual de Educação (CEE), que na ocasião comemorava 53 anos de existência, Barbosa falou da importância do órgão para o sistema educacional alagoano e parabenizou os homenageados da noite. “O estado de Alagoas deve muito a vocês e ao Conselho Estadual de Educação. Pretendo inclusive participar mais assiduamente das reuniões do CEE, pois são momentos enriquecedores”, disse Barbosa. O secretário encerrou sua fala destacando dois debates que terão continuidade no decorrer de 2016: o novo Plano Estadual de Educação (PEE) e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que reunirá os conteúdos a serem ensinados e aprendidos nas escolas brasileiras. “Precisamos aprovar um PEE que seja factível e atenda às demandas da sociedade alagoana em relação à Educação. No tocante à BNCC, é essencial que cada escola se reúna para discutir e contribuir na construção do documento, um marco histórico na Educação Básica”, falou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *