27 de novembro de 2015

Sesau cria grupo técnico para acompanhar casos de microcefalia em Alagoas

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) formou um grupo técnico para acompanhar a situação dos casos de microcefalia em Alagoas. Infectologistas, neuropediatras e profissionais das áreas técnicas da Sesau se reúnem na próxima semana, com a gestora estadual da Saúde, Rozangela Wyszomirska, para, a partir das orientações do Ministério da Saúde (MS), decidir quanto aos encaminhamentos sobre essas ocorrências. Diante do aumento do registro de casos de microcefalia, o Ministério da Saúde desencadeou um processo de notificação imediata desse agravo. Em Alagoas, a superintendente de Vigilância em Saúde, Cristina Rocha, informou que os serviços que prestam assistência materna e infantil e os núcleos de vigilância ao município foram informados e estão cadastrando as notificações. “Quando a notificação chega, acionamos o município ou vamos diretamente, por meio do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, fazer a investigação”, descreveu Cristina Rocha. Segundo ela, o Ministério da Saúde ainda encaminhou um questionário com vários itens, que fazem um levantamento do histórico da gestação, a exemplo do vínculo com o uso de drogas, medicação e infecção. “Estamos numa fase de levantamento de dados, de aprofundamento do conhecimento sobre essas ocorrências”, complementou Cristina Rocha. Isso porque o Ministério da Saúde está realizando estudos para investigar a possibilidade de vínculo entre microcefalia e zika. Consequentemente, a Sesau está trabalhando com a notificação e a investigação dos casos.

Boletim epidemiológico

Até 24 de novembro de 2015, informe da Sesau aponta que foram notificados 42 casos de microcefalia em Alagoas. A Sesau permanece realizando todos os esforços para monitorar e investigar, de forma prioritária, o registro de casos no Estado, seguindo as orientações do Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *