27 de novembro de 2015

Em encontro na Fiea, Renan agradece a confiança de Malta no governo

O presidente da Fecomércio AL, Wilton Malta, agradeceu ao presidente da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (Fiea), José Carlos Lyra, a manifestação de solidariedade da entidade diante da repercussão de uma Ação Popular visando uma intervenção no Sistema Fecomércio/Sesc/Senac Alagoas. O reconhecimento foi feito na manhã desta quinta-feira (26), durante a reunião de diretoria da Fiea que contou com a participação do governador Renan Filho. Em seu agradecimento, Malta lamentou a decisão em primeiro grau que, baseada em denúncias infundadas, concedeu a liminar que autorizava a intervenção nas entidades. Outra preocupação do gestor era o fato de o interventor nomeado e sua equipe desconhecerem o funcionamento do Sistema, o que prejudicaria as atividades das Casas, repercutindo negativamente na sociedade e na economia de Alagoas, uma vez que as entidades atuam na defesa dos interesses do Comércio, no bem estar dos comerciários e na capacitação de mão de obra. “Imaginem o que poderia acontecer se houvesse uma intervenção. Que conhecimento essas pessoas têm do Sistema? Não é qualquer pessoa que tem conhecimento das particularidades e como funciona no Sistema S em geral. Mas graças a uma reavaliação da Justiça, a intervenção não chegou a acontecer, porque eu só fui citado na terça-feira e, por essa razão, não fomos afastados das nossas funções”, ponderou Malta, estendendo a gratidão pelo apoio às outras entidades que também se solidarizaram com a Mesa Diretora, a exemplo da Federação da Agricultura do Estado de Alagoas (Faeal), associações, sindicatos e federações de todas as regiões do país e empresários. Sobre o assunto, o presidente da Fiea disse que solicitou de seu departamento jurídico uma analisada no processo. “A gente sabe que há muita coisa requentada. Situações que foram sanadas e contas aprovadas pela CGU (Controladoria Geral da União). Não existe fato novo”, avaliou Lyra. A nota de apoio foi divulgada pela entidade na última terça-feira (24) e manifesta o entendimento de que a Fecomércio cumpre as atribuições para as quais foi eleita, “pautando suas ações em propósitos nobres na busca pelo engrandecimento da entidade e do bem-estar social daqueles que representa”.

Décimo terceiro

Durante o encontro, o governador Renan Filho apresentou alguns números do primeiro ano à frente do Estado num cenário considerado difícil para a economia. Ao falar sobre enxugamento da máquina pública e os ajustes ficais realizados e que geraram questionamentos sobre o pagamento da folha salarial enquanto outros Estados anunciavam atrasos nos salários do funcionalismo, Renan relembrou que Malta procurou o governo solicitando a antecipação do 13º dos servidores estaduais visando fomentar o comércio. “Primeiro muito obrigado pela confiança, porque o ano foi muito duro e a gente chegar ao final com essa possibilidade é uma demonstração clara de que o Estado fez seu trabalho”, asseverou o governador ao presidente da Fecomércio, acrescentando que serão gastos R$ 500 milhões no pagamento da folha e do décimo em dezembro. Renan demonstrou preocupação como o próximo ano. “A estimativa é de que 2016 também não será um ano fácil. O nosso PIB caiu entre 3% e 3,5% em 2015 e, para 2016 a previsão é de uma redução entre 2% e 2,5%. Isso dá 6% no acumulado; uma regressão econômica muito grande e nós temos que estar preparados para esse enfrentamento”, pontuou. De acordo com informações apresentadas pelo governador, Alagoas apresenta, em 2015, o maior superávit primário do Brasil e, em decorrência do demonstrativo bimestral da transparência que foi implementado na atual gestão, saltou do 24º para o 10º lugar no quesito de transparência pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *