19 de outubro de 2015

Transporte seguro de pacientes garante restabelecimento precoce

A segurança dos pacientes ao serem transportados dentro da unidade hospitalar também é um ponto relevante na assistência de emergência prestada pelo Hospital Geral do Estado (HGE), quem afirma é a diretora da unidade, Verônica Omena. Segundo ela, o transporte dentro do hospital, mesmo que envolva pequenos deslocamentos, pode acelerar a melhora clínica quando realizado com os equipamentos específicos, destinados a garantir a segurança e conforto do paciente. A médica intensivista, Lis Daniella, contou que para transportar os pacientes graves, das unidades de terapias intensivas (UTIs), além da equipe treinada, é preciso ter disponível o mínimo de equipamentos para o transporte seguro. “Necessitamos, basicamente, de um oxímetro e um ventilador que garanta os parâmetros ventilatórios utilizados previamente, na terapia intensiva. Para aqueles mais graves, ainda há a necessidade de bomba de infusão portátil para administração de drogas vasoativas”, explicou. Segundo ela, isto garante a manutenção de todos os parâmetros para evitar intercorrências que ponham em risco a vida do paciente. No HGE, o transporte é realizado com um respirador microprocessado. Wéllison de Lima, de 27 anos, foi um dos que se beneficiou da segurança que vem sendo utilizada na unidade hospitalar ao transportar pacientes. Vítima de uma queda no banheiro de sua residência, o paciente desarcordado foi levado ao HGE onde ficou na UTI, devido à forte pancada na cabeça. Pouco tempo depois, já estava em um leito, sendo acompanhado por familiares. “É emocionante ver o restabelecimento dos pacientes e observar como até alguns padioleiros já estão treinados e preocupados com a segurança do doente, sabendo conduzir toda a sequência para evitar danos aos doentes. Apesar de ser um transporte dentro da própria instituição, quando não realizado de forma adequada, pode haver danos ao paciente, com piora do quadro clínico e até comprometendo sua recuperação/prognóstico”. Maca motorizada A condução dos pacientes na realização de exames específicos e em áreas com maiores aclives e declives dentro da unidade hospitalar, como a tomografia e o raio X, também conta com a maca hidráulica, que funciona a bateria e transporta um paciente de até 250 kg. O equipamento, pioneiro em Alagoas, possui leito articulado em laminado radiotransparente para uso de intensificador de imagem e raio-x, além de gaveta para uso de placas de raio-x. A maca é acionada através de cilindro hidráulico a pedal. Movimentos de cabeceira e joelhos são acionados manualmente por pistão a gás e movimentos de elevação, através de sistema hidráulico a pedal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *