16 de outubro de 2015

Professor Péricles promove conscientização ambiental com alunos do Sertão

Para o professor Péricles Souza de Carvalho, o ensino de Biologia ultrapassa os muros da escola: ele também deve ser vivenciado na natureza. Por isso, há cinco anos ele realiza aulas práticas com estudantes da rede estadual de Piranhas, os quais têm a oportunidade de aprender mais sobre o bioma que os cerca – a caatinga- e a importância de sua conservação. Professor concursado da rede estadual desde 2006, Péricles é licenciado em Biologia com pós-graduação em Educação e Gestão Ambiental. Em suas aulas, ele se preocupa não apenas em repassar conteúdo de sua disciplina, mas também despertar em seus alunos uma consciência crítica sobre a importância da preservação ambiental. Trabalho iniciado com estudantes da Escola Xingó II e que agora tem continuidade na Escola Estadual José Sena Dias. “Noventa por cento de nossos alunos são agricultores ou filho de agricultores que tiram o seu sustento a partir da caatinga. Nestas aulas, procuramos sempre trabalhar a importância da caatinga, que é o bioma que eles conhecem e que proporciona o sustento de suas famílias”, explica o professor. Exposição O trabalho empreendido por Péricles já repercute fora de Alagoas. Em 2013, pesquisa sobre ambientes naturais e suas interferências na formação de conceito no ensino de Ciências, a qual foi desenvolvida com alunos do Ensino Fundamental da Escola Xingó II, foi apresentada em Colóquio Internacional da Educação, em Sergipe. Este ano, já na Escola José Sena Dias, outros dois trabalhos seus foram expostos no XII Congresso de Ecologia do Brasil, evento realizado pela Sociedade Brasileira de Ecologia na cidade de São Lourenço, Minas Gerais, no mês de setembro. Um dos trabalhos expostos no congresso mineiro abordou os impactos ambientais no Riacho Capiá, que fica próximo à Escola José Sena Dias. Durante a pesquisa, o professor e sua equipe registraram assoreamento, retirada de mata ciliar e acúmulo de lixo doméstico no riacho, o que tornava a água do mesmo imprópria para consumo. Como consequência deste cenário, a pesquisa desenvolvida já resultou em ações para a recuperação do Capiá. “O IMA já esteve no local e nossos alunos também estão se mobilizando para promover um plantio em 800 metros ao redor do riacho para a recuperação da mata ciliar”, adianta Péricles. Arborização, por sinal, é tema do outro trabalho apresentado pelo professor em Minas Gerais. O projeto, que envolve todas as turmas do Ensino Médio e conta com a colaboração de outros professores da escola, consiste no plantio de espécies nativas da caatinga no pátio da unidade de ensino. A ideia é que este espaço se converta em uma área para se trabalhar a educação ambiental com os estudantes. “Cada equipe está empenhada em uma tarefa: um grupo fará a identificação das espécies e confecção de placas, outro fará o plantio e o terceiro vai delimitar a área de plantio. Os estudantes ainda produzirão uma cartilha com as espécies nativas da região”, pontua o professor. Péricles destaca a importância de mais educadores apresentarem projetos em congressos deste porte. “Estes eventos propiciam muitos benefícios para a educação, pois, nós como professores, aperfeiçoamos nossas metodologias e, dessa forma, contribuímos para a melhoria do aprendizado dos alunos”, ressalta. Mudança O diretor da Escola José Sena Dias, João Evânio de Araujo, diz que o trabalho promovido pelo professor Péricles, além de facilitar a assimilação do conteúdo de Biologia, já despertou uma postura sustentável entre os estudantes. “Recentemente, nossos alunos do 3º ano tomaram a iniciativa de promover o plantio de espécies ornamentais em nosso jardim, fazendo também o reaproveitamento de pneus usados. Este processo está trazendo um novo visual para a escola”, relata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *