22 de setembro de 2015

Saúde dicute desafios do Mais Médicos no atendimento a usuários do SUS

Para discutir os desafios no atendimento a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) reuniu médicos, supervisores, tutores e gestores que atuam no Programa Mais Médicos em Alagoas. O Encontro Loco-Regional aconteceu nesta segunda-feira, 21, no auditório do Curso de Medicina da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), com representantes da I Macrorregião de Saúde, que reúne 56 municípios, inclusive Maceió. Os encontros são realizados trimestralmente e buscam atualizar as equipes médicas e ainda abrir um espaço para que os participantes discutam os desafios encontrados no atendimento. “As reuniões seguem a recomendação do Ministério da Saúde e apresentam aos médicos temas importantes e debates”, explicou a coordenadora do Programa Mais Médicos em Alagoas, Ivana Pitta. Na ocasião, os presentes assistiram apresentações sobre acolhimento psiquiátrico, tuberculose e hanseníase. Ivana Pitta destacou que os temas foram escolhidos de acordo com o histórico de atendimento percebido no Estado. “Ainda existem muitos casos de tuberculose e hanseníase em Alagoas e as equipes são preparadas para realizar, além do diagnóstico preciso, buscas ativas nas comunidades”, ressaltou Ivana Pitta. Em Alagoas, o Programa Mais Médicos conta com 197 profissionais, que atuam em 63 cidades. “O programa foi adotado pela população que já sente os efeitos positivos de uma equipe médica residente em suas comunidades. Municípios que tinham dificuldades históricas em fixar médicos, hoje contam com profissionais que não apenas trabalham, mas fazem parte do dia a dia da população”, destacou. Mais Médicos Lançado em julho de 2013, o Mais Médicos faz parte de um amplo pacto de melhorias do atendimento aos usuários do SUS. O programa tem o propósito de aperfeiçoar a formação de médicos na Atenção Básica, ampliar o número de médicos nas regiões carentes do País e acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *