1 de setembro de 2015

Inclusivo, Arapiraca lança projeto esportivo para a comunidade

Uma cidade se faz com projetos arquitetônicos e urbanísticos – visando a metrópole que pode vir a se tornar –, mas também tendo ações educacionais, culturais e esportivas. Afinal, o alimento da alma é o conhecimento. E é assim, querendo ensinar aos seus, que Arapiraca se destaca mais uma vez. Foi lançado o Programa Esporte e Lazer na Cidade (PELC) no Complexo Monsenhor Padre Aldo de Melo Brandão, bairro Capiatã. Segundo o secretário Municipal de Esporte e Lazer (Smel), Nelson Santos Filho, as inscrições estão abertas para toda a população na sede da Smel, no Ginásio Municipal João Paulo II, no Centro. O PELC conta com futsal, dança, handebol, capoeira, vôlei sentado, arte circense, teatro, frisbee, judô, ginástica e capoeira. As atividades esportivas e culturais acontecerão no Ginásio Municipal, na Escola Municipal de Circo Teófanes Silveira e no entorno do Parque Ceci Cunha. “Este é um projeto inclusivo e para todas as idades – desde as crianças de 7 anos até os idosos de 80, sejam eles homens ou mulheres. Basta apenas que preencham uma ficha cadastral e escolher uma das modalidades. Os menores de idade, claro, devem entregar tal documento com a assinatura do pai ou responsável. E, bem, isso é muito positivo e nos alegra! A prefeita Célia sabe que o esporte pode transformar vidas e incentiva a prática por toda cidade”, diz Nelson Santos Filho. Ele enfatizou que isto, além de tirar os jovens e adultos do sedentarismo, afasta as pessoas da criminalidade, sobretudo em áreas de vulnerabilidade social. O próximo passo é lançar o programa à região do Lago da Perucaba. Já há 12 monitores sendo capacitados para acompanhar os arapiraquenses nestas atividades pela cidade.

Demonstração

Sob os olhares de Marcela Gerbase, coordenadora-geral do PELC, que tem como parceiro o Governo Federal por meio do Ministério dos Esportes, uma demonstração foi realizada no Complexo Padre Aldo. Duas das várias modalidades foram apresentadas aos presentes – que puderam fazer suas inscrições com o apoio da Associação Comunitária dos Moradores do Capiatã –, com direito a tatame para as lutas de judô e a dança da ginástica rítmica. Na oportunidade, o atleta Daniel Rodrigues, de 19 anos, mostrou que todos são capazes de participar do PELC: ele não possui uma das pernas e não se deixa abater. Pelo contrário; o jovem que hoje está na faixa laranja procura sempre "dar ippon" em seus obstáculos, contando sempre com a ajuda de seus amigos e professores do Centro de Treinamento Andrade. A comunidade percebeu a importância do esporte na vida, em se tratando de disciplina e saúde. Pipocas e algodão-doce foram dados no evento de promoção do PELC, que já foi anunciado nos Centros de Apoio em Assistência Social (Cras) do município e nas associações comunitárias para que mais pessoas se envolvam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *