24 de setembro de 2015

Gestores de Penedo vão apresentar o projeto da ponte em novo encontro com a bancada alagoana

Com a suspensão da elaboração do projeto da ponte entre Penedo/AL e Neópolis/SE, medida tomada pelo Governo Federal, diante da crise financeira, os gestores de Penedo, Marcius Beltrão e Ronaldo Lopes, seguiram para Brasília buscando tentar reverter à situação. Na tarde desta quarta-feira (23), na capital do País, uma reunião com a bancada federal de Alagoas tratou do assunto, bem como, mostrou aos presentes parte do projeto já iniciado e sua importância para os dois estados vizinhos. “Com a suspensão do projeto, marcamos uma reunião com a bancada de Alagoas para buscar uma solução e tentar a sua retomada imediata. Neste encontro, mostramos parte do projeto e a importância da ponte para toda a região do Baixo São Francisco. Infelizmente, a sessão conjunta do Congresso Nacional de terça (23), acabou só na madrugada de quarta (24). Com essa duração, parte da bancada faltou ao encontro. Já marcamos outra reunião, agora em Maceió. Vamos mobilizar os deputados federais e senadores para se unirem ao povo de Penedo, para que o sonho seja concretizado. Paralelo à luta nossa, o prefeito Amintas Diniz também veio à Brasília e seguiu para buscar apoio da bancada sergipana”, esclareceu o prefeito Marcius Beltrão. Neste primeiro encontro, o projeto foi apresentado aos deputados Cícero Almeida, Givaldo Carimbão e Marx Beltrão. Uma nova audiência com toda a bancada federal foi marcada para o dia 5 de outubro, agora em Maceió. Nesta nova apresentação do projeto da ponte entre Penedo/AL e Neópolis/SE, todos terão conhecimento dos estudos iniciados pela Prefeitura de Penedo e, ainda, dos ganhos econômicos e turísticos para a região Sul de Alagoas e Norte de Sergipe. Além do andamento do projeto iniciado pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), órgão responsável pela contração da empresa. Também foram convidados para participar: a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Ademi-AL), Sindicado da Indústria da Construção do Estado de Alagoas (Sinduscon-AL) e Casa da Indústria.

Onde parou

O projeto da ponte concluiu a etapa de sondagem marítima. Nesta fase, foram realizados furos de até 40 metros abaixo da lâmina d’água do Rio São Francisco, com o propósito de detectar os prováveis locais para as futuras fundações da estrutura de sustentação da obra. Os estudos foram orçados em R$ 1.946.959,17 (um milhão novecentos e quarenta e seis mil, novecentos e cinquenta e nove reais e dezessete centavos). Os recursos foram alocados via emenda do então deputado federal Renan Filho e do senador Renan Calheiros. A elaboração do projeto contempla: Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental e do Anteprojeto de Engenharia Rodoviária para Implantação, Melhoramentos, Pavimentação e Obras de Arte Especial.

Dados técnicos da ponte

Extensão da ponte – 1.100 m; Largura da ponte – 18,50 m; Extensão dos acessos – 7.500 m; Distância do vão navegável – 300 m; Distância entre vãos – 35,00 m; Número de vãos da ponte – 22,0; Extensão de ponte protendida – 800 m; Extensão de ponte estaiada – 300 m; Largura do passeio – 2,00 m; Largura da ciclovia – 2,00 m; Número de faixas de rolamento – 2,0;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *