8 de janeiro de 2019

Cidadania e Justiça firma parceria com governo belga para receber voluntários

Philippe De Wulf e Mariana Del-Penho, representantes da Le Forem, são recebidos pelo juiz Anderson Passos

Philippe De Wulf e Mariana Del-Penho, representantes da Le Forem, são recebidos pelo juiz Anderson Passos Foto: Carolina Amâncio

A Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal) firmou, nesta segunda-feira (7), parceria que permite receber jovens da Bélgica, recém-formados, que chegam ao Brasil para intercâmbio linguístico, cultural e organizacional. Os jovens recebidos irão participar voluntariamente das ações do Programa Cidadania e Justiça na Escola (PCJE), que leva palestras e ações educativas para estudantes de escolas públicas do estado.

Para fazer parte do programa, os jovens com idades entre 24 e 30 anos passam por uma seleção realizada pela Agência do Ministério do Trabalho e Emprego do Governo Valônio no Reino da Bélgica, conhecida como Le Forem. Quando aprovados, os jovens são encaminhados, pelo prazo de 12 semanas, para um realizar ações voluntárias em instituições alinhadas com suas formações profissionais em países como o Brasil, Índia, Rússia ou China.  No Brasil, o programa já conta com voluntários em Florianópolis, Fortaleza, Belo Horizonte, Salvador e Maceió.

Coordenador de Projetos Especiais da Esmal, o juiz Anderson Passos acredita que a colaboração de estudantes estrangeiros com o PCJE poderá trazer novas perspectivas para o programa. “Os voluntários, unidos à nossa equipe, irão trazer uma percepção diferenciada sobre os temas que trabalhamos, sobre a realidade das crianças e adolescentes que atendemos, e contribuir com ideias para incrementar o nosso trabalho. É uma relação de troca, já que eles também irão aprender sobra a nossa cultura e expandir os seus olhares sobre o mundo”, destaca.

Philippe De Wulf, coordenador regional do Le Forem em Alagoas, também vislumbra que a parceria será bem sucedida, já que a é uma oportunidade de os estudantes diversificarem e intensificarem os seus currículos antes de voltarem ao mercado de trabalho belga. “A experiência de vida que eles adquirem ao conhecer outras culturas é única. Um dos motivos de termos procurado a Esmal para essa missão é a certeza de que os nossos jovens serão bem acolhidos e úteis para o PCJE, que tem se destacado no cenário estadual como um programa visionário”, afirma.

Carolina Amâncio – Esmal TJ/AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *