4 de dezembro de 2018

Circuito Alagoas Feita à Mão instalará mais três esculturas gigantes de mestres alagoanos na orla

 

Mestre João das Alagoas terá sua obra ‘Boi Bumbá’ instalada na orla de Maceió

Disseminar a arte popular alagoana e valorizar o trabalho dos mestres artesãos. É com esse intuito que o Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), realiza o Circuito Alagoas Feita à Mão, que instalará três novas esculturas gigantes na orla de Maceió. O Circuito será lançado no dia 13 de dezembro, em evento no Hotel Jatiúca, às 9h.

O Circuito consiste na produção e instalação de réplicas de esculturas de mestres artesãos alagoanos em pontos-chave da orla da capital. Com 6 metros de altura cada, as réplicas são feitas de isopor naval e fibra de vidro, materiais resistentes ao sol, chuva e maresia. Os monumentos serão acompanhados de placas informativas que, além de explicar sobre cada peça, trazem informações sobre o Circuito Alagoas Feita à Mão.

‘O Beijo da Mestra Irinéia’, réplica da peça da artesã Dona Irinéia, ficará exposta na Lagoa da Anta, na entrada do Hotel Jatiúca, um dos parceiros da ação. O ‘Boi Bumbá’, do Mestre João das Alagoas, será instalado na Avenida da Paz, com apoio do restaurante Picuí. Já a réplica do ‘Leão’ do Mestre André da Marinheira será fixada na Avenida Assis Chateaubriand, próximo à entrada do bairro do Pontal da Barra, em área cedida pela Braskem, também parceira da ação.

A primeira-dama de Alagoas, Renata Calheiros, lembra que o Estado se destaca pela qualidade e originalidade da produção artesanal. “Somos reconhecidos nacional e internacionalmente por grandes personalidades que acompanham a produção da arte popular. As peças do Circuito Alagoas Feita à Mão trazem a história da cultura, dos costumes, de nossas riquezas, pelas mãos de consagrados mestres artesãos. É uma forma de reconhecimento e valorização inéditos, que irá se refletir também no turismo, na geração de renda e no resgate do orgulho do alagoano pelo que é produzido aqui”, declarou.

As peças de André da Marinheira, Dona Irinéia e João das Alagoas – os dois últimos mestres do Patrimônio Vivo de Alagoas – completam o circuito de intervenções urbanísticas de arte popular, que foi iniciado com a instalação da Sereia do Mestre Zezinho, na praia de Pajuçara, dando visibilidade ao artesanato alagoano e incentivando o turismo cultural no Estado.

“Colocar obras dos nossos mestres artesãos em espaços públicos conectados faz com que moradores e visitantes vivenciem e explorem os espaços coletivos, imergindo na cultura local. O lançamento do circuito é importantíssimo para disseminar a produção artesanal alagoana em níveis local e nacional”, explicou a gerente de Design e Artesanato da Sedetur, Daniela Vasconcelos.

Cecília Tavares/Ascom Sedetur

Fotos de Kaio Fragoso

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *