11 de julho de 2018

Prática pedagógica do Sesi desperta interesse de secretaria cearense

Prática pedagógica do Sesi desperta interesse de secretaria cearense

Prática pedagógica do Sesi desperta interesse de secretaria cearense

A Escola Sesi Industrial Abelardo Lopes, localizada no bairro da Cambona, em Maceió, recebeu, na sexta-feira (6), a visita de representantes da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza-CE.

Os educadores Sueudo Rodrigues e Ericka Rodrigues, ambos da Célula de Inovação Educacional, vieram à capital alagoana para conhecer as práticas pedagógicas relacionadas à Metodologia e ao espaço Maker, como aplicação na matriz curricular, formação dos professores e perspectivas.

O modelo, que está sendo adotado na Escola Sesi, é voltado para a imersão dos alunos na prática, ao contrário do atual modelo educacional, centrado na teoria. A unidade de ensino localizada na Cambona está avançando de tal forma que despertou o interesse da Secretaria de Educação de Fortaleza.

“Foi um compartilhamento de boas práticas, a gente também aprendeu bastante com eles. Essas iniciativas são sempre muito bem-vindas, porque a gente só consegue estar cada vez melhor quando consegue compartilhar o nosso conhecimento e aprender com os demais atores envolvidos na educação”, destacou Clarisse Araújo, gerente executiva de Educação do Sesi/Senai em Alagoas.

A diretora da escola, Alessandra Damacena, afirma que a visita é uma prova de que as práticas pedagógicas estão no caminho correto. “Claramente, a Secretaria de Educação de Fortaleza percebe que estamos avançando nessa Metodologia Maker, que visa à autonomia, a independência, a inovação e o empreendedorismo dos alunos, e isso já está no DNA da escola”, destaca.

A expectativa de levar a metodologia para a capital cearense é grande, explica o professor Sueudo Rodrigues. Fortaleza está ganhando a “Academia do Professor”, um centro de formação e assistência aos profissionais da rede municipal de ensino, e existe a intenção de construir um Espaço Maker no local para dar subsídios aos professores que pensam em construir uma aula diferente.

“A gente confeccionou o espaço e viu que a cultura Maker não é só fazer a sucata, tem que resignificar os produtos, os processos, dar um sentido maior a esse fazer pedagógico”, destacou o educador. As pedagogas do Sesi Marseille Lessa e Emanuelle Santos também acompanharam a visita.

Ascom Sesi/AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *